A Nielsen divulgou um estudo sobre a estabilidade e liderança do rádio em relação ao consumo do veículo entre a população dos Estados Unidos. Entre o público com 18 anos ou mais, o rádio segue com 92% de alcance semanal, sendo 132,4 milhões de norte-americanos impactados pelo rádio mensalmente (98% de alcance mensal).  O volume é superior ao alcance dos smartphones (81%), TV (87%), PC (54%), TVs-dispositivos conectados (52%) e tablets (46%). Detalhe: há a possibilidade de audição de programação de rádio em praticamente todos os demais dispositivos, algo não incluso no alcance que é relativo ao receptor FM/AM.

O alcance elevado e estável, fortalece o papel comercial do rádio, segundo a Nielsen. “O rádio se conecta com o público certo no momento certo, especialmente quando os consumidores estão por aí, prontos para fazer compras e comprar. Os consumidores usam o rádio principalmente quando estão longe de casa. A audição fora de casa durante a semana inteira é mais de duas vezes maior (69%) do que a audição em casa (31%)”, destaca o estudo.


Alcance de cada plataforma-dispositivo nos EUA/ Fonte: Nielsen

O levantamento também mostra que a população “teen”, ou seja, aquela de 12 a 17 anos, também consome rádio, além de seus formatos preferidos (tendo o Pop CHR, ou Pop-top 40, na liderança – veja logo abaixo). A Nielsen mostra que 93% dessa população jovem é impactada mensalmente pelo rádio, com um volume absoluto de 23,3 milhões de pessoas.

A Nielsen destaca que, além de estável em seu alcance ao longo dos anos (sem deixar esse patamar acima dos 90%), o rádio também conta com uma alta demanda por faixas etárias e grupos sociais diferentes, gerando uma audição bem diversificada.


Formatos mais consumidos por cada grupo etário, gênero e etnia nos Estados Unidos / Fonte : Nielsen

“Como a maioria das rádios é consumida fora de casa (particularmente ao dirigir de e para o trabalho ou fazer recados), ela oferece uma oportunidade significativa para que profissionais de marketing e anunciantes entreguem suas mensagens antes de um possível ponto de compra. O sucesso contínuo e a resiliência do rádio se devem em grande parte ao espaço invejável que ele ocupa no console automotivo. É gratuito, onipresente e na ponta dos dedos de praticamente todos os consumidores na estrada hoje. A maior parte da audição longe do rádio acontece no carro: 66% ocorre durante a semana total, 71% durante o horário normal de trabalho de segunda a sexta-feira e 79% nos fins de semana”, destaca o estudo da Nielsen.


Comparativo do consumo do rádio no trajeto ou em casa nos EUA (toda a semana, semana de trabalho, em trajeto/dirigindo, finais de semana) / Fonte: Nielsen

O estudo da Nielsen também destaca o consumo de Podcast e o uso dos dispositivos smart speakers por mercado (praça) nos Estados Unidos. Washington lidera o volume de consumo de podcast, seguido por Seattle. Já Nova York é o mercado que conta com o maior uso das famosas caixas de som inteligentes.

Fonte: tudorádio.com

SHARE